A tecnologia da indústria 4.0 promete transformar o mundo corporativo e o perfil dos profissionais para o novo RH.

Com tantos avanços tecnológicos, diversos procedimentos industriais e manuais estão começando a se tornar automatizados.

Executar os processos de forma manual, cada vez mais perde espaço para processos automáticos.

Um bom exemplo: pagar contas no banco. Há quem prefira encarar a fila para pagar os boletos, falar com o gerente pessoalmente ou sacar dinheiro na “boca do caixa”. Enquanto outras, preferem fazer tudo por meio de um aplicativo ou pelo computador.

Para essas pessoas a tecnologia passou a ser indispensável no cotidiano. Assim como as áreas administrativas, de inteligência e de RH que enxergam esse avanço no dia a dia.

Todo esse processo é chamado de Indústria 4.0 – também conhecida como a Quarta Revolução Industrial. Rótulo dado a partir da combinação das práticas industriais tradicionais com a tecnologia.

Engana-se quem pensa que isso somente impacta nos processos industriais, de mão de obra pesada. Esse novo cenário combina a computação em nuvem, big data e inteligência artificial.

Por isso é preciso saber incluir esse conceito nas empresas como uma forma de inovar a gestão. Neste post explicaremos tudo que você precisa saber sobre os desafios da Indústria 4.0 em uma gestão de RH e de pessoas. Confira!

O que é indústria 4.0

O que é indústria 4.0?

A Indústria 4.0 é a combinação das práticas industriais com a tecnologia.

Isso inclui a implantação e o uso em grande escala de tecnologia M2M (máquina para máquina) e Internet das Coisas, uma revolução tecnológica que tem como objetivo conectar os itens usados do dia a dia à internet.

A implantação desses recursos ajuda os fabricantes e consumidores a automatizar processos, melhorar a comunicação e o monitoramento, além de trazer novos níveis de análise para proporcionar um futuro produtivo.

São esses pilares que concedem às empresas processos muito mais brandos e que liberam os funcionários para executar outras tarefas.

É importante salientar que a Quarta Revolução Industrial não é uma nova tecnologia, nem uma disciplina de negócios. Essa é uma nova abordagem criada para atingir resultados que não eram possíveis há 10 anos, graças ao avanço da tecnologia.

Como a quarta revolução industrial impacta o RH

Como a quarta revolução industrial impacta o RH

Apesar da tecnologia estar cada vez mais aprimorada, dificilmente ela nos afetará negativamente – como se fosse um episódio da série Black Mirror. Pelo contrário: o capital humano, conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que favorecem o trabalho com intuito de gerar valor econômico, ainda é muito valorizado, em especial nos departamentos de RH.

Assim como a tecnologia progride a cada dia que passa, o RH e os responsáveis pela gestão de RH precisam estar mais dinâmicos, estratégicos e ativos.

A quarta revolução irá impactar as rotinas dos profissionais continuamente, especialmente para os dias de hoje, quando não adianta manter tradições antigas para o novo perfil dos colaboradores.

Ao atribuir a tecnologia, os procedimentos técnicos mudam. De acordo com relatório publicado pela Deloitte, sobre “Tendências Globais de Capital Humano 2018”, 56% das empresas começaram a remodelar seus processos de RH, ao preferir aproveitar ferramentas digitais e móveis.

Ainda na mesma pesquisa apresentada, na América Latina, 81% das empresas classificam o modelo de RH digital com importante o muito importante. É preciso ficar de olho nas tendências!

Faça o talento ir até você

Faça o talento ir até você!

Quem trabalha com recrutamento de talentos sabe o quanto é difícil encontrar profissionais que preenchem os requisitos das vagas. De acordo com pesquisa do ManpowerGroup, em 2016, 43% dos recrutadores têm dificuldade em ocupar cargos.

Para conseguir suprir essa necessidade, a indústria 4.0 pede a necessidade de planejar uma marca empregadora. Também chamada de employer branding. Que é fazer da sua marca algo mais atrativo, que aumente a reputação e o engajamento da empresa e influência sobre as pessoas.

De modo que ao criar e fortalecer a marca empregadora, ela possa transpassar as seguintes informações para um prospecto como:

  • Um bom lugar para aprender coisas novas e ganhar experiência.
  • Um lugar para se estabilizar e seguir um plano de carreira.
  • Que possibilite conciliar a vida familiar, permitindo flexibilidade nos horários.
  • Um espaço inovador e moderno.
  • Uma empresa tradicional e meticulosa.
  • Uma empresa que tenha uma hierarquia definida.
  • Um espaço com um relacionamento horizontal entre os membros da equipe.

Dessa forma, a marca da empresa funciona como um imã, atraindo profissionais qualificados para a empresa e retendo quem já faz parte do time de colaboradores.

É importante contar com o auxílio de plataformas que otimizem todo o processo de recrutamento e seleção. Dessa forma, é possível gerenciar melhor as vagas e agrupar melhor os seus talentos.

Há muitas formas de conseguir impactar e atrair um bom candidato. Promovendo ações nas redes sociais, que mostrem os “bastidores” da empresa e os colaboradores; divulgação no blog institucional, feiras de eventos, entre outros.

Adequar a empresa ao novo modelo de trabalho

Adequar a empresa ao novo modelo de trabalho

Os avanços conquistados por mesclar a tecnologia de ponta com os procedimentos manuais, estão impulsionando os novos modelos de trabalho e negócio na Indústria 4.0. Uma tendência que requer a adaptação da gestão de RH das empresas.

Diante desse cenário, vemos que a atual geração, busca cada vez mais por flexibilidade. O grande desafio é poder oferecer isso, sem perder a produtividade e comprometimento com o negócio.

Há caminhos para se seguir, como remodelar a cultura organizacional, tornando-a mais inovadora. Investir em ferramentas que contribuam para a gestão de talentos – tanto no setor privado quanto público – uma vez que facilita no monitoramento dos resultados.

O sistema de gestão para recursos humanos do setor público Ergon, permite ao gestor adotar novas e modernas estratégias para adequar o quadro de funcionários. Solicite uma demonstração gratuita!

A chegada da indústria 4.0 demanda que o RH saiba se adequar para suas mudanças. Sendo necessário adotar o planejamento estratégico, ferramentas digitais, cultura organizacional inovadora e inspiradora e foco em gerar os resultados esperados.

Assim, é possível reter mais talentos, destacar a marca da empresa e se diferenciar no mercado. O que você tem feito para inovar? Diga nos comentários! Até a próxima!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *