feedback e feedforward

Feedback e Feedforward: Qual a diferença entre eles?

No ambiente organizacional, a oferta de feedback e feedforward é importante para acelerar o desenvolvimento profissional do servidor e/ou colaborador.

Tanto o feedback, quanto o feedforward são ferramentas poderosas que auxiliam na transformação e evolução de diferentes perfis. 

A obtenção de respostas sobre os pontos positivos e os pontos que podem ser melhorados, contribui positivamente para que todos os profissionais evoluam, tanto no âmbito profissional, quanto no pessoal também.

Mas, qual é a diferença entre feedback e feedforward? É sobre isso que vamos falar neste post!

Continue conosco!

Feedback e Feedforward: Entenda os conceitos

O feedback embora seja muito eficaz e amplamente utilizado pelos gestores, não é a única ferramenta utilizada para auxiliar no desenvolvimento das equipes. Também existe o feedforward, porém, falaremos sobre ele no decorrer do texto.

Com o feedback o profissional tem um retorno sobre o seu desempenho e comportamento na organização. Já o feedforward permite um olhar voltado ao entendimento de onde o servidor quer chegar e qual o caminho que precisa percorrer para alcançar seus objetivos.

O feedback pode ser considerado como uma resposta a um estímulo, sendo oferecida como uma forma de avaliação. No âmbito organizacional, o seu objetivo é levar o profissional ao entendimento de como o seu comportamento foi interpretado ou recebido pelo próximo.

Criado por Marshall Goldsmith, o feedforward significa “olhar para a frente” ou “avançar”. A sua aplicação é baseada na orientação das pessoas sobre as habilidades que devem ser desenvolvidas. Ou seja, a sua função é buscar otimizar o potencial de cada profissional.

É fundamental que a instituição possua canais e políticas de comunicação para os colaboradores, voltada à promoção de melhorias e reconhecimentos.

Uma das grandes diferenças entre feedback e feedforward é o fato da temporalidade. Enquanto o primeiro é voltado a atitudes passadas, o segundo é voltado às ações futuras.

Leia também:  Líder inovador: Descubra suas características

Feedforward

Com o objetivo de proporcionar o autoconhecimento, alinhar, desenvolver e engajar o profissional, o feedforward é baseado em três pilares:

  • Presente;
  • Futuro;
  • Positividade;

Na gestão de pessoas, o feedforward possui algumas características. Dentre elas, estão:

  • Olhar voltado ao futuro utilizando os erros do passado como aprendizado;
  • Autoconhecimento;
  • Desenvolvimento de talentos, estimulando a reflexão e a busca por melhorias comportamentais e profissionais.

A sua aplicação é pautada em questionamentos que permitem a autorreflexão, como veremos a seguir:

  • Quais comportamentos e atitudes você acha que precisa aprimorar ou transformar?
  • Quais objetivos você pretende alcançar?
  • Se os seus objetivos forem colocados em prática, como você imagina seu futuro?
  • Por onde as mudanças devem começar?

Outras ações como acolhimento e apoio às transformações, elaboração de um plano de ação, também fazem parte do processo de feedforward.

Leia também: Gestão de pessoas no setor público: veja 6 tendências para 2021

feedback e feedforwards

Feedback

O feedback é pautado no comportamento que se deu no passado. Ou seja, primeiro o profissional precisa estar centrado e localizado com o feedback, para, em seguida, ir em alguma direção (feedforward).

Existem alguns tipos de feedback. Vejamos:

  • Positivo: O seu objetivo é o elogio a uma atitude e/ou comportamento que teve um impacto positivo na organização.
  • Construtivo: Tem como objetivo abordar algum comportamento e/ou atitude com impacto negativo e que pode ser aprimorado.

Eles deverão ser realizados em um contexto de segurança e confiança entre líder e liderado, possibilitando maior engajamento e motivação no ambiente organizacional.

O feedback construtivo possui alguns elementos, sendo eles:

    • Contexto: É preciso entender a situação que originou o feedback;
    • Comportamento: É necessário explicitar o comportamento que originou a reação ou causou impacto;
    • Impacto: É preciso explicar em qual aspecto determinado comportamento impacta você e as consequências que você apreende daquilo;
    • Expectativa: Trazer possíveis saídas para a mesma situação futuramente.

O feedback deverá ser dado logo em seguida do fato, para que a situação ainda esteja na memória dos envolvidos. Porém, deve-se atentar para que ele não seja dado em momentos que se esteja emocionalmente tomado pela situação.

Leia também: Lean Government: Saiba como a administração pública pode ser otimizada!

Outra prática recomendada é fugir da técnica em que se insere uma crítica entre dois elogios. É importante lembrar que nem todo mundo prefere o feedback positivo. Quanto mais especialista o profissional se torna, maior a necessidade de receber feedbacks construtivos.

Neste artigo abordamos a diferença entre feedback e feedforward, além dos seus conceitos e dicas para colocá-los em prática.

Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais!

Aproveite para conhecer o Ergon, nosso sistema de gestão de pessoas e folha de pagamento voltado ao setor público. Acesse nosso site e conheça as funcionalidades da solução!

Gestão de PessoasPowered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.